Notícias Mundo ao segundo: Covid19, últimos desenvolvimentos no mundo


por Carlos Bonaparte em 17-03-2020 às 15:00

Antes de qualquer informação, cabe-nos esclarecer duas imprecisões que cometemos em notícias e reportes anteriores. Primeiramente, não existe cura para o Covid19. Portanto não há curados, mas sim recuperados, e é esta a designação que utilizaremos doravante. E sim, Covid19, e não Corona Vírus. Não sabemos ao certo quantos infetados existem por Corona Vírus, pois esta designação abrange 7 vírus diferentes, todos da mesma família. Covid19 é o nome da doença causada pela estirpe mais recente, e é apenas esta designação que adotaremos também doravante. Cabe-nos também informar que todos os valores indicados foram obtidos às 14:20 do dia 17 de Março de 2020, pelo que poderá haver alguma atualização, seja de acréscimo ou de correção.

Situação cavalgante de Espanha é a 2ª mais importante.


As últimas 10 horas viram os casos de Covid19 crescerem ainda mais rápido. Foi uma média de 500 casos por hora, a nível global. 117 deles em Portugal, 1337 em Espanha. E é aqui a situação mais preocupante, já que se registou um número de mortes alarmante: 157 em apenas 24 horas. Em Espanha, a cada 9 minutos, morre um paciente infetado por Covid19, ou para sermos mais precisos, 9 minutos e 28 segundos. A taxa de mortalidade disparou praticamente 1% no último dia. Como contamos nesta notícia, a taxa de mortalidade era, até esta madrugada, de 3.43%, sendo agora de 4.42. Espanha já é o 4º país mais infetado pela nova estirpe do Corona Vírus, superado apenas pelo Irão, com 14991 casos, Itália com 27980 e China com 81058, todos dados obtidos às 14:20.
Em Portugal os dados divulgados pela Direção Geral de Saúde dão conta de mais 117 infetados, correspondendo agora a um total de 448 positivos de Covid19. Destes, 444 estão ativos, 3 recuperaram e há uma morte a lamentar. Dos 444 casos ativos, 89 são médicos. Ainda sobre os 444 casos, 206 são casos não graves, mas internados em unidades hospitalares, 17 nos cuidados intensivos e 221 recuperam em casa. Um dos infetados é um adulto de 37 anos, que assim que soube do resultado, fugiu do hospital de Coimbra, mas foi detido pela PSP numa estação de comboio próxima.
Na China a situação é também preocupante. À medida que as cidades retomam o seu normal funcionamento, os casos voltam a aumentar a um nível preocupante. Em 12 horas registaram-se 25 novos casos, quase tantos como nas 24 horas do dia de ontem. Depois de uma redução drástica, do dia 11 para o dia 12, e de um quase nulo nos dias 12 e 13, a China tem vindo a registar um crescimento no número de novos casos, que tem também sido maior do que o número de pessoas recuperadas. Ontem registaram-se 30 novos casos, mas o dia de hoje aparenta bater records, se tivermos em conta os últimos 6 dias.

Em França o número de casos foi surpreendentemente baixo. Segundo dados obtidos junto de fontes que monitorizam de perto o avançar desta doença, a França registou, entre ontem e hoje, apenas mais 31 novos casos. Mas acreditamos que eles ainda vão ser atualizados mais adiante.

Sem turistas, as águas de Veneza estão mais transparentes


Já todos devemos ter visto imagens da despoluição ocorrida na China, pela ausência de circulação de automóveis e pessoas. Em Itália está a acontecer o mesmo, sobretudo em Veneza. Uma cidade que em tempos foi capital de uma república independente, e que há não muitos anos, 21 de Março de 2014, foi a votos para retomar essa independência. Com menos turistas, com menos italianos nas ruas, lentamente a natureza vai conseguindo eliminar os excessos que a humanidade por ali deixa.


Comentar





Voltar página anterior