Crónicas Mundo ao segundo - Covidiário 09: Mundo passa dos 6 milhões de casos, quase 126 mil casos num só dia, Brasil perto dos 30 mil, Portugal com 350, reconfinamento começa em alguns países, e mais.


por Carlos Bonaparte em 30-05-2020 às 04:44

Todos os dados foram obtidos às 04:40


Destaques



Se quiser, leia o Covidiário de ontem e use-o como termo de comparação.

Dados gerais

No dia 28 o saldo final situou-se nos 116304 novos casos e nas 4612 mortes. No dia de ontem registaram-se 125511 casos e 4872 óbitos. Assim, com 6026375 casos e 366418 mortes, a taxa de mortalidade situa-se nos 6,08%, uma queda de 0,09% que tem tudo a ver com a quantidade de casos.
O Brasil registou o seu pior máximo, pelo 3º dia concecutivo. 29526 casos, 1180 mortes. Bastantes mais casos que os Estados Unidos da América, que registaram 25069 e 1212 mortes. A Índia bateu hoje máximo histórico, com 8105 casos. Já a Rússia, com 8572 casos nas últimas 24 horas, registou o pior número de mortes neste período de tempo: 232.
Em Espanha só morre 1 paciente por dia? Informações dizem que não.

Mas Espanha diz que sim. Subitamente o número de mortes em Espanha caiu para... 1. No dia 27 Espanha registou apenas uma vítima mortal, sendo que no dia 28 também. No dia 29 registou duas. Mas no dia 26 registou 280. Quanto ao dia 25 não temos registo devido aos acertos que foram feitos, mas no dia 24, 74 pessoas perderam a vida em território espanhol. A Antena Web sabe que o número de mortes em Espanha se tem mantido estável entre os 35 a 60, e não baixado. O país ainda tem mais de 60 mil casos ativos, e 617 pessoas ainda estão internadas nos cuidados intensivos. Talvez uma falta de conexão entre redes, ou uma estratégia para promover o turismo interno, como também se indica ter acontecido em Itália, precisamente com o número de mortes, possa estar a acontecer. Espanha vai abrir fronteiras com Portugal, e já há países que têm começado a promover a livre circulação como Grécia, Alemanha e Croácia, ou Hungria e República Checa e Eslováquia, entre eles. Situação que pode ser revertida se o número de casos começar a disparar nestes ou noutros países.

A 2ª vaga

Ainda não é certo o que está a acontecer, mas acredita-se que o desconfinamento tenha sido a causa deste avanço. Ontem o Irão registou máximos a mais de 2 meses: 2819 casos. Por agora a taxa de mortalidade ainda se mantém baixa, tendo perdido a vida "apenas" 50 pessoas. Mas isto pode estar a acontecer devido ao número de casos ser bastante alto, mas apenas mais recentemente.
19 países passaram a barreira dos 1000 casos. Destes, 13 chegaram a ter mesmo mais de 2 mil casos, e 5, mais de 6500. O único que ainda não mensionamos foi o Peru, com 6506 casos e 131 mortes. O Peru regista atulamente 148285, e a par da Índia, vive uma situação bastante complexa.

A situação no Peru e um roubo gigantesco

Não é apenas o número de casos ou de mortes, mas sim a situação que se vive neste país. Apesar da solidariedade que vai marcando os habitantes desta nação, no dia de ontem um ataque informático permitiu o roubo de cerca de 1 milhão de sóis, cerca de 260 mil euros, ou 290 mil dólares norte-americanos, destinados ao Abono Familiar Universal (BFU em espanhol). Quanto aos números, parece pouco 290 mil dólares. Olhemos para os dados de 2017.
Em 2017 Portugal, o 42º país com maior PIB, produziu 32554 dólares norte-americanos por pessoa por ano, e o rendimento situou-se nos 21316 dólares do mesmo país.
Neste mesmo ano, o Peru, 93º da lista, produziu 13463 dólares norte-americanos por pessoa, que só teve 6723 de rendimento. É uma diferença menor em termos numéricos, mas maior em termos percentuais. No Peru, apenas 49,37% do que é produzido é, de facto, usufruído. Já em Portugal esse valor é de 65,48%. Estes valores variam em função, sobretudo, da inflação, dos preços dos produtos e dos impostos.
Mas vamos mais a fundo. Para que um peruano tenha o mesmo rendimento que um português tem num ano, ele precisa trabalhar, em média, 3 anos e 62 dias.
Por fim, 1 milhão de sóis equivale a 260 mil euros, porque 1 sol equivale a 26 cêntimos. Mas este é um valor neutro. Para a economia portuguesa, e tendo em conta o rendimento per capita, 1 milhão de sóis equivale sensivelmente a 824358,17 euros. Para a economia catari, por exemplo, sendo o Catar o país com maior rendimento per capita em 2017, esta perda seria apenas o equivalente a 4246€.

Os países com uma taxa de mortalidade superior a 10%


Atualmente há 11 países que se encontram nesta situação. A Libéria voltou a sair dos 10%. Já o Yemen registou 5 novos casos e 8 mortes. Confiramos os dados mais recentes, tendo em conta que os dados do México já pertencem ao dia 30, mas todos os restantes pertencem ao dia 29 ou anteriores, nos casos em que não se registaram novos casos.

PaísCasos - mortes totalCasos - mortes nas últimas 24 horasTaxa de mortalidade hojeTaxa de mortalidade ontem
Yemen283 - 655 - 822,97%20,50%
Sint Maarten77 15- - 19,48%19,48%
Bélgica58061 - 9430212 - 4216,24%16,23%
França186835 - 28714597 - 5215,37%15,39%
Itália232248 - 33229516 - 8714,31%14,30%
Reino Unido271222 - 381612095 - 32414,07%14,06%
Hungria3841 - 51725 - 813,46%13,34%
Países Baixos46126 - 5931176 - 2812,86%12,85%
Suécia36476 - 4350749 - 8411,93%11,94%
México84627 - 94153227 - 37111,13%11,02%
Bahamas102 - 112 - 010,78%11%


Comentar





Voltar página anterior