Crónicas Mundo ao segundo - Nós e o Mundo 01: A Verdade Amordaçada.


por Luís Filipe Menezes em 18-05-2020 às 19:45

O Covid-19 nasceu em Whuan. Segundo as autoridades chinesas teria nascido num mercado da cidade e resultaria da passagem directa de uma espécie de morcegos para o homem.
Contudo, sobre a crise pandémica nascida na China, parece que não há ninguém que tenha a falta de pudor em contestar o seguinte:

- As autoridades chinesas, uma ditadura férrea, tentaram esconder a epidemia durante um mínimo dez dias - tempo crucial para poder ter contido a epidemia.
- As autoridades chinesas fizeram desaparecer uma dúzia de médicos, cientistas e jornalistas que quiseram alertar atempadamente para o perigo de uma nova desconhecida epidemia. Ninguém lhes pergunta por eles!
- As autoridades chinesas mentiram sobre o número de mortos na China. Ainda recentemente corrigiram números. Ainda recentemente foram expulsos dos crematórios de Whuan vários jornalistas ocidentais que queriam esclarecer-se sobre os números reais de cremados desde o início da crise.
- Em Whuan, localizada no interior da China, é onde está localizado o mais importante laboratório de virologia do País, de grau 4 (o de maior sensibilidade e perigo) e também ligada à investigação para fins militares. Entretanto desapareceu de cena a directora do centro, substituída por um militar.
- Todas as epidemias anteriores nascidas na China, por transmissão direta de animais a humanos, aconteceram na costa, todas na região de Guangdong.
Ora, apesar de todas estas dúvidas, quem suscita dúvidas sobre a origem e expansão do vírus, apontando o dedo a Xi Jinping e ao seu regime é logo atacado à paulada.

É de imediato acusado de “tonto” adepto de teorias da conspiração e aparecem logo meia dúzia de técnicos encarniçados a defender a hipotética (nunca privada) mutação de um coronavírus do morcego (sem nunca provar a hipótese necessária de um hospedeiro intermediário).
Não quero estar sempre a falar deste assunto mas a minha opinião, exclusivamente ligada ao muito que vou lendo e à sensatez comum, é a seguinte:
- Não me passa pela cabeça que tal epidemia pudesse ter sido provocada propositadamente. Não acredito, e julgo que nunca acreditarei, que alguma vez haja um qualquer regime capaz de tal barbaridade. Para mim é uma questão que nunca se pôs ou porá.

- Ao invés, parece-me muito provável, e só a mim pobre leigo responsabiliza, que o vírus tem enorme possibilidade de ter saído por acidente do Centro Virológico de Whuan, conhecido pela sua investigação de coronavírus e HIV, e assim terá sido propagado rapidamente por toda a super povoada província de Hobei.

A ausência de provas da ligação efetiva ao mercado de Whuan, o desaparecimento dos seus principais responsáveis, e a barragem a investigações internacionais independentes, apontam nesse sentido.
Aliás seria mais fácil acertar no Euromilhões que haver a casualidade, num País gigantesco, com milhões de mercados de animais para alimentação humana, este maldito vírus ter “escolhido” o mercado da cidade onde está o laboratório especializadíssimo na investigação e manipulação de coronavírus!

Acredite quem quiser. Eu, por senso comum, não acredito. Pelo menos até que me provem a tal origem bizarra do morcego que mordeu outro bicharoco, que por sua vez foi comido num guisado mal cozido por um chinesinho glutão.
Em baixo transcrevo a opinião de um verdadeiro “ignorante” o prémio Nobel, Luc Montagnier, só o primeiro cientista a isolar o vírus HIV.

Não é a opinião de um político criador de teorias de conspiração. É a de alguém respeitado em todo o mundo.

A sua opinião é peremptória.
Ele diz que o Covid-19 tem caraterísticas de ser um vírus sintético, construído em laboratório, pelo cruzamento de vírus estudados em Whuan (do coronavírus SARS e do vírus da SIDA HIV).
Segundo o Professor Montagnier poderá ter acontecido um acidente num contexto de um estudo de busca de uma vacina anti HIV. Eu acredito nele.

Isso não faz dos chineses comuns, muitos pacíficos e cordatos emigrantes na Europa, gente perversa e má, mas coloca uma guilhotina no pescoço da mentira do regime de Xi Jinping, se ela vier a ser confirmada.
Ninguém das televisões portuguesas ainda quis entrevistar um Premio Nobel, homem acessível, que ama Portugal! Está a duas horas de distância de Lisboa e também usa Skype! Porquê? Quem condiciona este silêncio? Quem ganha com ele?


Comentar





Voltar página anterior